Serviço de Disjuntores em Campo Grande - RJ

O Rei dos Reparos oferece serviços de eletricista especializados em disjuntores. Se você está procurando contratar um eletricista para realizar serviços de disjuntores, você veio ao lugar certo.

Disjuntores

Os disjuntores funcionam como um guarda costas da instalação elétrica, ou seja, deve ser usado como um dispositivo de segurança contra sobrecargas. O disjuntor pode ser unipolar, bipolar ou tripolar, e a sua utilização dependerá das especificações feitas no projeto elétrico. Toda vez que a capacidade dos condutores for ultrapassada, o disjuntor desligará sozinho. É uma espécie de alerta para que o problema seja verificado, sanado e possa ser religado.

Vale lembrar que o disjuntor é diferente do fusível, que ao indicar que a capacidade dos condutores foi ultrapassada, não poderá ser religado, necessita ser substituído.

Em instalações elétricas, os circuitos são divididos e protegidos por disjuntores, de acordo com a capacidade de cada um. O disjuntor ou fusível protege os condutores contra situações anormais de funcionamento do sistema, portanto não devemos substituí-los sem uma minuciosa avaliação das condições dos condutores dos circuitos.

O valor do disjuntor é sempre expresso em ampères e deve ser compatível com a capacidade de condução da seção (bitola) do condutor, e ambos dependem da corrente elétrica que circula na instalação.

A substituição de um disjuntor por outro de corrente mais alta requer uma análise do circuito e a possibilidade de troca dos condutores (fios e cabos elétricos) por outros de seção (bitola) maior. Quando os disjuntores desligam um circuito, a causa pode ser uma sobrecarga ou um curto circuito. Fique atento, pois desligamentos frequentes indicam sobrecarga. Por isso, não é recomendado trocar os disjuntores por outros de corrente mais alta sem analisar o circuito.

Perguntas Frequentes

  1. Como escolher o disjuntor correto para minha instalação?

    A escolha do disjuntor adequado envolve considerar a capacidade de carga da instalação elétrica, o tipo de circuito, a corrente nominal e outros fatores. É importante contar com um eletricista profissional para avaliar as necessidades da instalação e escolher o disjuntor com a corrente nominal correta, levando em conta a proteção dos circuitos e evitando sobrecargas.

  2. Quais são os sinais de que meu disjuntor está com problemas?

    Alguns sinais de problemas em um disjuntor incluem desarme frequente, superaquecimento, ruídos anormais, mau funcionamento do mecanismo de disparo, odor de queimado e componentes visivelmente danificados. Se você notar algum desses sinais, é importante chamar um eletricista para uma avaliação e possível substituição do disjuntor.

  3. Qual a diferença entre um disjuntor unipolar, bipolar e tripolar?

    Disjuntor unipolar protege apenas um dos polos da instalação (fase). Disjuntor bipolar protege dois polos (fase e neutro) e é utilizado em aparelhos que necessitam de dois polos para funcionar. Disjuntor tripolar protege os três polos (fase, neutro e terra) e é utilizado em circuitos trifásicos. A escolha do tipo de disjuntor deve ser de acordo com o circuito e a carga a ser protegida.

  4. Posso substituir um disjuntor por outro de corrente mais alta?

    Não é recomendado substituir um disjuntor por outro de corrente mais alta sem uma avaliação profissional. A capacidade da instalação elétrica deve ser considerada, e a substituição por um disjuntor de corrente mais alta pode causar sobrecargas e comprometer a segurança. É essencial que um eletricista qualificado avalie a instalação e, se necessário, realize alterações adequadas.

  5. Quais são os cuidados necessários ao lidar com disjuntores?

    Alguns cuidados importantes incluem desligar a energia antes de mexer nos disjuntores, utilizar equipamentos de proteção individual, não forçar o mecanismo de disparo, evitar sobrecargas nos circuitos e não realizar alterações nos disjuntores sem a devida expertise. Sempre que houver dúvidas ou necessidade de manutenção, é recomendado chamar um eletricista.

  6. Como identificar uma sobrecarga elétrica?

    Uma sobrecarga elétrica pode ser identificada pelo desarme frequente do disjuntor, aquecimento excessivo nos fios e nos dispositivos elétricos, odor de queimado, oscilação na iluminação e mau funcionamento de aparelhos. Se você perceber esses sintomas, é essencial investigar a causa, que pode estar relacionada à capacidade da instalação elétrica ou ao uso inadequado de aparelhos.

  7. Quando devo chamar um eletricista para verificar meus disjuntores?

    Recomenda-se chamar um eletricista sempre que você notar sinais de problemas nos disjuntores, como desarmes frequentes, superaquecimento, ruídos anormais, odor de queimado ou outros sintomas incomuns. Além disso, se houver a necessidade de trocar ou instalar novos disjuntores, um eletricista profissional deve ser consultado para garantir a segurança e o correto funcionamento da instalação.

Formas de Pagamento

Aceitamos cartões de débito, crédito e PIX. Parcelamos e faturamos para empresas e condomínios.

Solicite um orçamento agora!

Ícone do WhatsApp - Empresa de Reparos e Reformas no Rio de Janeiro(21) 99754-4798

Ative o JavaScript no seu navegador para preencher este formulário.
Estamos Online